A politicagem do Voto Impresso

Já faz alguns dias que o tema do voto impresso circula na imprensa brasileira. Primeiro, daquele grupo de apoiadores do Bolsonaro que querem o voto impresso, acreditando que com isso pode barrar qualquer “irregularidade”. Em outras palavras, manipulação do tipo invasão de “hackers” ou por algum outro computador de fora do sistema.

O fato é que a urna eletrônica trouxe para o sistema eleitoral brasileiro uma transparência, até então desconhecida pelos brasileiros. Antigamente, com as cédulas e urnas, sempre havia toda a sorte de problemas. O mais comum, era que do nada, várias urnas simplesmente sumiam e, de que de repente, o candidato X ou Y era favorecido.

Nesse ponto, com certeza, a urna eletrônica foi fundamental para o processo eleitoral brasileiro. Mas, com o tempo, veio a revolução tecnológica, internet, redes sociais. E esse sistema precisa ser atualizado.

Aqui na Europa, não se utiliza urnas eletrônicas. Os votos são em cédulas. E não há possibilidade disso ser alterado.

Há um tempo atrás, em conversa com um funcionário do Ministério do Interior daqui, ele contou que as urnas eletrônicas não eram seguras, por conta de ataques de hackers. Claro, que há uma tradição de votos daqui e uma transparência, por conta dos resultados. A democracia européia está bem fomentada.

No caso do Brasil, eu ainda acredito que as urnas eletrônicas sejam melhores que o voto em cédula ou impresso. A elite política brasileira sempre fez politicagem para se manter no poder. E não precisa ir longe, para ver na história recente nossa e ver a quantidade de políticos que conseguem se “livrar” de processos na Justiça, por conta de corrupção. Nesse caso, as urnas eletrônicas é a opção segura.

Mas, aí resta a pergunta de segurança, relacionada a internet e aos ataques de “hackers”. Caberia ao Tribunal Superior Eleitoral de fornecer a população brasileira, a maior transparência possível e mostrar tudo que tem sido feito.

Infelizmente, o que se tem visto, é que a cada questionamento do Bolsonaro, o TSE sucumbi a essa ânsia e acaba participando desse jogo oportunista, nada democrático.

O voto impresso perdeu na Comissão que foi criada, especificamente para o assunto. Mesmo assim, o Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira resolveu colocar o projeto para análise do plenário.

Claro que isso tem um cheiro de politicagem. Para os caciques do Centrão, para ver o tanto que a base governista é fiel ou não. Vale lembrar, que ano que vem, haverá eleições e isso vai contar para muitos parlamentares que esperam verbas para as bases eleitorais.

Mas, é muito difícil prever qual será o resultado. A princípio espera-se que o voto impresso seja derrotado no plenário. Afinal de contas, temos uma prioridade maior, que é a pandemia. E essa daí pode engolir vários políticos, começando pelo próprio Bolsonaro.

Observação: Aqui na Áustria, como em outros países europeus, não

existe um orgão específico para eleições, como o Tribunal Superior Eleitoral – TSE ou Tribunais Regionais Eleitorais – TRE. Quem cuida das eleições é o Ministério do Interior.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.