Artistas e a Propaganda Política

A arte deve ser livre.

No fim de semana houve uma grande discussão relacionada ao show da cantora Pablo Vittar no festival Lollapalooza. Durante a sua apresentação, Pablo segurou uma bandeira do Lula, candidato do PT – Partidos dos Trabalhadores.

Logo em seguida, o Tribunal Superior Eleitoral multou os organizadores por “propaganda antecipada” e aí abriu uma longa discussão. Pablo pode expressar a sua opinião política?

Sim, ela pode. O direito de expressão é para todos. E se analisarmos nessa ótica, o próprio Bolsonaro já vem fazendo campanha antecipada faz tempos, através de suas “motociatas”.

Mas, o grande questionamento não é necessariamente se um artista ou influenciador digital pode fazer propaganda eleitoral para um político ou partido político. Será que o artsita não está se deixando instrumentalizar pela política em prol da sua arte?

Arte é livre

Aqui na Europa, os artistas de modo geral procuram se distanciar dos políticos e partidos. Não significa que eles não façam militância política. Atualmente, aqui há muitos que estão bem engajados pela Ucrânia, por exemplo.

O lance é que quando você se vincula com um partido ou um político, a probalidade da sua arte está limitada a esse espectro é muito grande. O público pode indentificar você, só pelo partido ou político e sua arte pode se limitar a isso também.

Um artista, não importa sua área, deve ser livre. Razão que muitos preferem manter uma distância, embora tenham suas opiniões políticas bem definidas.

Com a invasão na Ucrânia, artistas russos andam sofrendo com a campanha do cancelamento. O caso mais emblemático é da cantora de Ópera, Anna Netrebko.

Simpatizante do Presidente russo, Vladimir Putin, ela foi afastada da cena artística internacional.

Eu sou contra a esse tipo de procedimento, o chamado cancelamento. Mas, seguramente haverá uma parte do público que se sentirá mal com essa postura da cantora russa.

Os limites para os artistas são muito sensíveis e vai da percepção de cada um. Uma coisa é certa, políticos vêm e vão, mas os artistas, quando eles são bons, vivem para a sempre na mente das pessoas.

Autor: Adriana Ribasmayer

Jornalista que adora observar o cotidiano e contar suas histórias. Journalistin mit einem Blick für Alltag Geschichte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: